Pilar Palavra

Apostolado da Oração

“A oração anima a missão e nos faz crescer em santidade e vontade de fazer valer o sonho de Deus para o nosso mundo.” Pe. Eliomar Ribeiro, SJ.

O Apostolado da Oração é uma pastoral composta por leigos católicos cuja finalidade é a de viver a espiritualidade do Sagrado Coração de Jesus, se dedicando à oração.

Como surgiu?

O Apostolado da Oração surgiu em Vals, perto de Le Puy, na França, nos anos de 1850, em uma casa de estudos da Companhia de Jesus, na França. O padre Francisco Xavier Guatrelet explicou como orações e sacrifícios poderiam ser um precioso auxílio aos que já trabalhavam na Seara do Senhor. As ideias propostas deram origem ao Apostolado da Oração, que se tornou conhecido em toda a França e, em seguida, às outras nações. O padre Henrique Raviere foi o grande organizador do Apostolado da Oração e publicou um livro intitulado “O Apostolado da Oração, Santa liga de corações cristãos unidos ao coração de Jesus”. E em seguida criou uma revista mensal “Mensageiro do Coração de Jesus”.

No Brasil, o primeiro centro do Apostolado da Oração foi fundado em 30 de junho de 1867 em Recife. O padre Bartolomeu Taddei em 1871 fundou outros centros em nível diocesano e nacional.

Foi nomeado Diretor Nacional e estendeu a todos os estados, de tal forma que o Cardeal D. Sebastião Leme pôde afirmar que “o crescimento espiritual do Brasil é obra do Apostolado da Oração”.

Assim, a cada dia o apostolado ganha mais apóstolos, ou zeladores(as). O número de pessoas que se entrega ao Coração de Jesus só aumenta  e o apostolado da oração vai se espalhando por todo o Brasil.

No Santuário das Almas todos os dias temos o Oferecimento para rezarmos por uma Intenção que o Santo Padre, o Papa envia. Toda primeira sexta-feira do mês é dedicada ao Sagrado Coração de Jesus. Participamos da missa na Capela, às 8 horas da manhã e após a missa, temos a Hora Santa, que é um momento de oração com base na Revista “O Mensageiro”. Em seguida, ocorre a nossa reunião mensal.

Todo mês de junho temos um dia especial dedicado ao Sagrado Coração de Jesus, depois de Corpus Christi, sempre numa sexta-feira. Neste dia também fazemos um dia de Oração, começando com a Santa Missa, Adoração, palestra e outras atividades, terminando com outra missa. É o Coração de Jesus que nos ama verdadeiramente.

Quem pode participar?

Para ser membro do Apostolado da Oração, a condição fundamental é o amor. Amor que é o próprio Espírito de Cristo atuando por meio de nós.

Para aqueles que desejam ingressar no Apostolado e se tornarem zeladores entrem em contato com a secretaria da paróquia para mais informações.

Círculos Bíblicos

A conversa de Jesus com os discípulos de Emaús foi o primeiro Círculo Bíblico. Nele aparecem três pontos que devem estar sempre presentes na leitura e na interpretação que fazemos da Bíblia.

1. Reflexão sobre a Realidade: Jesus soube criar um ambiente de conversa e, com muito jeito, forçou os dois a falar sobre os problemas que eles estavam vivenciando naqueles dias. Na conversa apareceu toda a realidade: a tristeza, o desânimo, a frustração dos dois, a sua falsa esperança de um messias glorioso, a incapacidade dos dois em crer nos pequenos sinais de esperança. (cf. Lc 24, 13-24).

2. Estudo da própria Bíblia: Jesus usou a Bíblia não tanto para interpretar e ensinar a Bíblia, mas muito mais para com ela interpretar os fatos da vida e animar os dois rapazes. Refletiu com eles. Junto com os dois, ele soube encontrar aqueles textos de Moisés e dos profetas que pudessem trazer alguma luz para a situação de tristeza que os impregnava.  (cf. Lc 24, 25-27).

3. Vivência comunitária da fé na Ressurreição: Jesus andou com eles, conversou, criou um ambiente de abertura e teve a paciência de escutá-los. Falando da vida e da Bíblia, agradou tanto, que o coração dos dois se esquentou, e eles chegaram a convidá-lo para jantar. Ficou com eles, sentou à mesa, rezou com eles e fez a partilha do pão, como se tornou costume entre os cristãos que tinham tudo em comum. Jesus não só falou, mas colocou gestos bem concretos de amizade. Ora, tudo isso é o ambiente da comunidade, onde se procura viver como irmão. É aí que se faz a experiência da ressurreição, do Cristo vivo no meio de nós; a experiência de Javé, Deus libertador. (cf. Lc 24, 28-32).

Quando estes três elementos estão presentes na interpretação da Bíblia, aí a Bíblia atinge o seu objetivo e acontece o milagre da mudança: os discípulos descobrem a força da palavra de Deus presente nos fatos, começam a praticá-la e tudo se transforma. Os olhos se abrem, as pessoas mudam; a cruz, vista como sinal de morte e de desespero, torna-se sinal de vida e de esperança; o medo desaparece, a coragem reaparece. Tudo começou quando Jesus falava com eles sobre a vida e sobre a Bíblia; a fé se afirma, a esperança se renova e o amor abre novos caminhos. (cf. Lc 24, 33-35).

Hoje, movimento vivo e atuante na maioria das comunidades católicas, os Círculos Bíblicos constituem grupos de pessoas que, por sentirem a necessidade de aprofundarem a Palavra de Deus, se reúnem conforme acordo prévio para pensarem as suas vidas de acordo com os ensinamentos de Jesus. Esses encontros não têm nenhum caráter formal do estudo bíblico sistematizado. Assim, quaisquer pessoas que tenham na vida e no coração o maior ensinamento de Cristo, que é o amor ao próximo, serão capazes de se reunirem, lerem a Palavra Sagrada, e trocarem experiências de vida com base nos ensinamentos extraídos da leitura. Ao longo do ano são aprofundados vários temas, conforme proposta da Igreja. Por esta proposta um Círculo Bíblico é essencialmente missionário, já que seus componentes se reúnem fora do templo e atuam para fora do espaço comum da sede da comunidade. Os seus componentes são missionários da Palavra de Deus, pois a levam para os lugares onde se reúnem: prédios, lares, clubes, locais de trabalho, etc.

As reuniões se desenvolvem por meio de uma oração inicial, a leitura do texto bíblico seguida de um aprofundamento com a troca dos sentimentos despertados em cada um dos participantes e ainda experiências e momentos vividos que o texto rememoriza. Todos devem expor seus sentimentos, dúvidas, experiências. Não haverá monopólio da palavra, todos devem se manifestar, havendo entre todos, carinho, cordialidade e respeito mútuo. Pode acontecer também algum estudo de situação concreta colocada para o grupo. Após as preces de louvor e de agradecimento a Deus, pode-se encerrar com um pequeno ágape fraterno. Para facilitar a condução das reuniões, nosso pároco disponibiliza pequenos livros com roteiros escolhidos de acordo com o tempo litúrgico.

Em nossa comunidade temos o registro de sete Círculos Bíblicos em funcionamento, alguns com existência há mais de trinta anos. Temos grupos se reunindo à tarde e à  noite. Mas você poderá criar um novo Círculo Bíblico, aí no seu prédio, na sua rua, no seu trabalho. Entre em contato conosco por meio da secretaria de nossa paróquia.

Escola Missionária Nossa Senhora do Sagrado Coração

“A formação permanente dos leigos e leigas deve contribuir, antes de mais nada, para sua atuação como discípulos missionários no mundo, na perspectiva do diálogo e da transformação da sociedade. É urgente uma formação específica para que possam ter incidência significativa nos diferentes campos, sobretudo no vasto mundo da política, da realidade social e da economia, como também da cultura, das ciências e das artes, da vida internacional, dos meios de comunicação e de outras realidades abertas à evangelização”. (Doc. Aparecida, pág.133.)

Objetivo Geral

Oferecer, através de informações e de bibliografia indicada, relativa aos temas, e de um estudo bíblico a partir da vida, – “para ouvir o mesmo Deus que falou ontem falar hoje” -, a oportunidade de conhecer a proposta de Jesus Cristo, para nos aproximarmos melhor Dele e do próximo em um compromisso de vida e fé cristã, dentro da história atual.

Objetivos Específicos

•  Trazer um conhecimento mais profundo das verdades da fé que conduza a uma atuação mais segura e consciente como discípulos-missionários em uma sociedade cada vez mais plural;

•  Despertar discípulos e discípulas que sejam capazes de acolher a Boa Nova e de transformá-la em novas maneiras de VER – JULGAR e AGIR;

•  Fornecer subsídios aos discípulos-missionários para que tenham uma fé mais adulta e se libertem de uma fé ainda infantil em muitos aspectos;

•  Promover uma maior integração entre fé e vida, rompendo com cisões que possam ocorrer;

•  Motivar os participantes a um engajamento mais responsável na vida comunitária;

•  Desenvolver a espiritualidade da vida, crescendo na fé, que se manifesta no amor a Deus e aos irmãos e irmãs.

CURSO BÍBLICO

Objetivos:

•    Perceber a necessidade de um método de leitura bíblica;

•    Desenvolver a capacidade critica na leitura dos textos bíblicos a fim de identificar os processos de construção teológica e seus diferentes agentes;

•    Desenvolver a capacidade hermenêutica a fim de atualizar e diversificar as possibilidades de re- significação dos textos bíblicos;

•    Aprofundar a espiritualidade bíblica a partir das dimensões da liberdade, do amor e da justiça social.

Metodologia de trabalho:

Exposição, trabalho em grupo, dinâmicas, vídeos. O Curso terá a duração de 2 anos.

Assessoria:

Maristela Tezza – Centro Bíblico Verbo – SP.

Horário:

Um final de semana por mês. Iniciando  na sexta-feira, das 20h até 22h e sábado, das 8h às 12h.

“Entre as muitas formas de se aproximar da Sagrada Escritura existe uma privilegiada à qual todos somos  convidados: a  Lectio divina ou exercício de leitura orante da Sagrada Escritura. Esta leitura orante, bem praticada, conduz ao encontro com Jesus-Mestre, ao conhecimento do mistério de Jesus-Messias, à comunhão com Jesus- Fiiho de Deus e ao testemunho de Jesus-Senhor do universo” (Documento de Aparecida, pág. 116)

“O chamado a ser discípulos-missionários nos exige uma decisão clara por Jesus e seu Evangelho, coerência entre a fé e a vida, encarnação dos valores do Reino, inserção na comunidade e ser sinal de contradição e novidade em um mundo que promove o consumismo e desfigura os valores que dignificam o ser humano. Em um mundo que se fecha ao Deus do amor, somos uma comunidade de amor, não do mundo, mas no mundo e para o mundo.” (Doc. Aparecida, pág.268/269)

A Paróquia de Nossa Senhora do Sagrado Coração – Santuário das Almas, fiel ao chamamento de Jesus e em consonância com as decisões da Assembléia Paroquial, que priorizou a formação cristã como uma das 3 metas a serem impulsionadas na Paróquia, juntamente com a Juventude e a Comunicação, procura cada vez mais envidar esforços no sentido de construir uma comunidade viva, atenta aos acontecimentos da vida e profundamente solidária.

“A vida se alcança e amadurece à medida que é entregue para dar VIDA aos outros. Isso é, definitivamente, a MISSÂO!”  (Doc. Aparecida, pág.166)

Pastoral do Batismo

A Pastoral do Batismo tem por objetivo mostrar toda a riqueza do sacramento do batismo, que é o nascimento de Deus, dentro de uma Comunidade. Ele nos garante uma vida de graça; a criança batizada, assim como Jesus, crescerá “com saúde e sabedoria, agradando a Deus e aos homens”. A nossa participação se encerra nas seguintes tarefas:

1 – Acolher, nas segundas-feiras das 18h às 20h, as famílias interessadas nas inscrições para realizar o Batismo;

2 – Visitar as crianças que serão batizadas, em seus lares, com alegria, para podermos crescer e assim transmitir a Palavra de Deus; 

3 – Participar da reunião de Pais e Padrinhos, no sábado que antecede ao Batismo, acolhendo a todos, sem distinção dos que vão batizar suas crianças em nossa Paróquia ou não; 

4 – No dia do Batismo, normalmente no último domingo de cada mês, participar com alegria de todos os momentos da celebração, acolhendo com atenção e carinho os pais, padrinhos e convidados. 

Venha caminhar conosco nessa divina missão. Venha ser mais um membro da Pastoral do Batismo. 

Capelinhas de Nossa Senhora do Sagrado Coração

O Movimento das Capelinhas de Nossa Senhora do Sagrado Coração tem como objetivo a evangelização das famílias. A visita de Nossa Senhora as nossas casas nos faz lembrar a Igreja doméstica, que são os nossos lares, motivando a oração em família! 

Hoje temos 13 Capelinhas que visitam as nossas casas.  Maria é a nossa companheira de caminhada! 

Movimento do Encontro Matrimonial

O Encontro Matrimonial iniciou-se na Espanha em 1952, quando o Pé. Gabriel Garcia Calvo, que trabalhava com jovens, percebeu que os que eram equilibrados e firmes de caráter possuíam.em suas casas um ambiente tranqüilo, onde os pais tinham uma boa comunicação entre si e demonstravam muito amor um pelo outro. Observou também que o contrário era verdadeiro. Então começou a trabalhar com os pais dos jovens, pois viu que uma boa comunicação entre marido e mulher causava efeitos positivos nos filhos.

As palestras que dirigia aos casais tinham como foco um relacionamento aberto e honesto e cada palestra terminava com uma pergunta destinada a encorajar o casal a questionar a maneira como estava vivendo *o seu próprio relacionamento.

Com dez anos deste trabalho, e vendo os resultados que estava alcançando, Pé. Calvo apresentou suas palestras em um retiro de Fim de Semana para 28 casais na cidade de Barcelona e essa idéia espalhou-se rapidamente através da Espanha, surgindo então o Encontro Conjugal. Quatro anos mais tarde, em 1966, Pé. Calvo levou suas experiências à Confederação Internacional do Movimento Familiar Cristão nos Estados Unidos e a partir daí foram sendo implantados na área de Nova York os Finais de Semana do Marriage Encounter ou Encontro Matrimonial.

Ainda nos Estados Unidos, com o apoio do Pé. Chuck Gallagher, foi desenvolvido um roteiro para os Finais De Semana e por volta de 1971 foi iniciada a expansão internacional, que prossegue até hoje já tendo atingido 90 países

O Encontro Matrimonial Mundial chegou ao Brasil em 1975, graças ao dinamismo e empenho do Pé. Jack Kennington e a disponibilidade missionária de casais norte-americanos que vieram dar o primeiro Fim de semana em Itaici-SP. No Brasil recebeu o nome de Encontro do Diálogo, lembrando a técnica apresentada no fim de semana, e a partir de 2003 o nome original do movimento foi adotado no Brasil, colocando-nos em unidade com os demais países. Em 2005 por solicitação da Coordenação Mundial foi adicionado o ”Mundial” ao nome, passando então a ser denominado “Encontro Matrimonial Mundial”.

Atualmente, no Brasil, realizam-se finais de semana regularmente nas dioceses, de Brasília, Goiânia, Belo Horizonte, Manaus, Fortaleza, Salvador, Rio de Janeiro, Niterói, São Paulo, Guarulhos, Jundiaí, Santos, Florianópolis, Porto Alegre, Joinville, Ponta Grossa, Londrina e Curitiba. Além dessas cidades há um grande esforço missionário para realizar novas expansões, ou seja levar. o Encontro Matrimonial Mundial a outras Dioceses do país. A arquidiocese de Niterói está no momento trabalhando para levar o movimento para as Dioceses de Leopoldina-MG e de Campos-RJ.

Nós fomos expansão do Rio de Janeiro até fevereiro de 2004, quando Dom Alano Maria nos acolheu como movimento arquidiocesano. Aproximadamente 600 casais das cidades de Niterói, São Gonçalo, Maricá, Tânguá, Cabo Frio, Araruama, São Pedro da Aldeia e Arraial do Cabo, já vivenciaram a experiência.

Legião de Maria

A palavra Legião significa exército e legionário é o soldado que faz parte desse exército. É por isso que foi dado o nome Legião de Maria ao conjunto de leigos (soldados) que fazem parte do grande exército de Maria Santíssima.

Foi fundada em 07/09/1921, em Dublin, na Irlanda, por Frank Duff (pioneiro ao movimento apostólico leigo – hoje em causa de beatificação) e se espalhou pelo mundo inteiro, chegando ao Brasil em 1951 e em 1962 se instalou no Santuário das Almas.

No Santuário, temos cinco Praesidia (grupos) com reuniões semanais:

Praesidium Virgo Potens: 3ª feira, às 9h, sala 04;

Praesidium Saúde dos Enfermos: 3ª feira, às 15h, sala 04;

Praesidium Nossa Senhora do Sagrado Coração: 5ª feira, às 15h, sala 05;

Praesidium Nossa Senhora Auxílio dos Cristãos: 5ª feira, às 20h, sala 04; e

Praesidium Mãe da Aliança: 5ª feira, às 15h, no Bairro Pé Pequeno – Niterói.

No Santuário temos também um Comitium (Conselho) com uma reunião mensal no terceiro sábado do mês, às 9h na sala 04, onde se reúnem sete Praesidia (grupos) e cinco Curiae (conselho) de diversas Paróquias da Arquidiocese.

A missão da Legião de Maria é a evangelização em toda a acepção da palavra, esforçando-se para chegar a todos os homens, por todas as vias possíveis, tendo sempre a preocupação do contato pessoal.

Tipos de trabalhos: Catequese, visitas aos doentes em lares, hospitais e casas geriátricas, visitas às famílias enlutadas e a idosos, trabalho com menores carentes, presos, viciados, prostitutas, enfim com todas as pessoas que, de algum modo, estão necessitando de uma palavra de conforto, de esperança, de solidariedade. A todos, os legionários procuram levar uma mensagem do Evangelho, atendendo ao pedido de Jesus que disse: “Ide e pregai o Evangelho a toda a criatura” (Mc. 16,15).

Por que pertencer a Legião de Maria?

Primeiramente, porque somos batizados e devemos cumprir com a nossa Missão de Evangelizadores. E, em segundo lugar, porque podemos contribuir de maneira mais efetiva em nossa comunidade, auxiliando nas pastorais, missões, entre outros.

É uma graça participar desse movimento, sendo instrumento da Mãe e Rainha, entregando-se a ação do Espírito Santo para fazer a vontade de seu filho JESUS.

Queremos dividir essa Graça com você, venha nos conhecer, visite um de nossos grupos.  Nossa Senhora espera e conta com você. Participe!

Salve Maria!

Obs.: Os termos usados na Legião são em Latim, por isso: Praesidia, Praesidium, Curia, Curiae, Comitium, etc.

Meditação Cristã

Silêncio. Quietude. Simplicidade

A Meditação Cristã é uma Tradição que remonta aos primeiros séculos do cristianismo e está enraizada nos ensinamentos e exemplo de Jesus Cristo. É também chamada de Oração do Coração, Oração Contemplativa ou Oração Pura.

“A meta fundamental da meditação cristã é permitir que a presença misteriosa de Deus em nós se torne não apenas uma realidade, mas a realidade que dá sentido, forma e direção a tudo o que fazemos e a tudo o que somos.”  John Main – OSB

Grupos de Meditação

Os alicerces da Comunidade Mundial para a Meditação Cristã são os milhares de pequenos grupos que se encontram em casas de família, paróquias, escolas, prisões, hospitais, em pelo menos 100 países por todo o mundo. O encontro num grupo é uma parte importante da viagem da meditação. Primeiramente, o grupo é um lugar de aprendizagem, onde os princípios essenciais da meditação, tal como foram transmitidos por John Main e Laurence Freeman, são ensinados e a sua natureza cristã antiga e autêntica é reforçada. Além disso, a disposição do grupo transforma-o num local de boas-vindas e de acolhimento e num ambiente seguro para receber os estreantes.

De muitas maneiras diferentes, a meditação traz-nos de volta à vida dos primeiros cristãos, nos séculos iniciais da nossa era. John Main não redescobriu só a oração silenciosa, com o apoio de uma palavra de oração, nos escritos dessa época; até o ambiente em que os primeiros cristãos se encontravam para rezar é também semelhante ao que conhecemos: também eles se juntavam em pequenos grupos, em casas de família ou em locais de encontro.
 
Na Igreja Santuário das Almas o grupo de Meditação Cristã se reúne todas as segundas feiras às 19 horas, na sala 3. Todos são convidados.

Para mais informações, por favor, entre em contato com a secretaria da paróquia.

 “Portanto, ao perceber em sua alma, qualquer desejo em acordo com Deus, realize-o e assim manterá o seu coração a salvo.” Santo Antão.

Pastoral da Catequese

A missão da Catequese é fazer ecoar a Palavra de Deus. A catequese está presente em todas as idades e deve ser uma trajetória contínua de educação na fé.

A Catequese não se limita a preparar para a celebração dos sacramentos. Ela leva a uma iniciação na experiência religiosa e na oração. Leva também ao crescimento da Igreja. A igreja do amanhã depende da catequese de hoje.

A Catequese é tarefa de toda a comunidade, não apenas de alguns, mas de todos os batizados.

A Catequese deve despertar a alegria de ser cristão. Por isso, a catequese deve preocupar-se continuamente não só em levar conhecimento dos mistérios da fé, mas também abrir os corações à conversão e à adesão.

Convidamos as pessoas que se sintam chamadas a participarem de nosso grupo. Ser catequista é uma linda missão!

Ser catequista é semear a esperança com gestos e palavras e levar a todas as pessoas a mensagem salvadora do amor.

A catequese de primeira Eucaristia introduz a criança e o pré-adolescente na vida da Igreja, compreendendo também uma preparação para a celebração dos sacramentos, apresentando os mistérios principais da fé e comunicando aos jovens a alegria de serem testemunhas de Cristo no meio em que vivem. Pensamos que a catequese não pode ignorar o delicado período de vida que crianças e pré-adolescentes atravessam no mundo atual. Portanto, ela deve ser capaz de ajudá-los a uma revisão de sua própria vida, ao diálogo, apresentando Jesus Cristo como amigo, como guia e como modelo, suscetível de provocar admiração e, como consequência, a sua imitação.

O catequista também deve ter uma formação permanente. Todos somos aprendizes e discípulos da vida e da fé desde a infância até a terceira idade. O catequista cresce na fé à medida que, inserido no grupo de catequistas, vai ajudando os outros a progredirem na fé. Os apóstolos cresceram na fé seguindo Jesus e evangelizando como Ele. Também o catequista, ao evangelizar, é evangelizado; enquanto dá, recebe; enquanto faz os outros caminharem na fé, dá largos passos no crescimento da própria fé.

Ser catequista é acolher, com amor e dedicação, uma vocação – missão de fundamental importância, pois quem responde SIM a essa vocação se coloca à disposição para ajudar os que já seguem Jesus a serem discípulos mais conscientes, coerentes, maduros e generosos.

Ser catequista é colaborar com a graça de Deus e com a pessoa, para que ela assuma seu sim a Deus, e avance rumo à maturidade na fé, na esperança e no amor.

Catequese da Amizade

Inserir pessoas especiais na vida da Igreja: este é o objetivo da Catequese da Amizade. Um grande orgulho da nossa comunidade. A Catequese da Amizade tem compromisso, tanto com os catequizandos, quanto com as suas famílias. Todos se sentem acolhidos e é um momento muito importante na vida dessas pessoas. Nos encontros eles fazem a leitura do Evangelho com explicação. Trabalham a mensagem do Evangelho de várias maneiras, como: desenhos, dinâmicas, orações espontâneas e trocas de experiências de vida; aprendem os Tempos Litúrgicos; no final do ano, fazem a Novena de Natal, juntamente com suas famílias, e gestos concretos; trabalham a vida em comunidade e preparam-se para a Vida Eucarística e o Sacramento da Crisma. É uma Catequese mais do que especial, pois todos nós da comunidade, que temos contatos com eles, somos agraciados pelos carinhos e alegria constantes. Toda nossa comunidade deve se sentir muito orgulhosa com esse trabalho desenvolvido pela Catequese da Amizade. Somos os pioneiros nesse serviço e nos sentimos recompensados e cada vez mais responsáveis para que possamos acolher sempre mais catequizandos.

Os encontros acontecem todo sábado, das 15h às 16h30, seguidos da missa com crianças, às 17h. Venha conhecer o nosso trabalho e se encantar com o carinho dessas pessoas tão especiais.

Pastoral dos Noivos

A Igreja Católica sempre se preocupou com a formação das famílias. Por isso, os noivos que procuram a Igreja para celebrar o sacramento do matrimônio devem participar de uma preparação na qual se reflete sobre a vida conjugal numa perspectiva cristã. Assim, para atender a esses noivos, o Santuário convidou uma equipe de casais, membros da comunidade paroquial, para formar a Pastoral dos Noivos.

Como é feita essa preparação em nossa paróquia?

Caso o processo do casamento e/ou o casamento seja realizado no Santuário, o casal passará por uma entrevista com o Diácono Raimundo Menezes, em data a ser agendada na secretaria. Em seguida, a coordenação da Pastoral reúne os noivos em grupos de até 5 casais que serão acompanhados por um casal da equipe. O casal orientador designado pela Pastoral vai coordenar as reuniões de reflexão sobre a vida conjugal, utilizando dinâmicas, vídeos, textos, num ambiente informal e acolhedor.Geralmente as reuniões – em torno de 4 (quatro) – são quinzenais, com o objetivo de dar aos noivos a oportunidade de trocar ideias sobre os temas abordados, todos referentes à vida a dois e ao relacionamento familiar.Por fim, a cerimônia do casamento é analisada e planejada pelo grupo. O casal orientador estará presente na cerimônia, acolhendo, em nome da comunidade, os familiares e os convidados dos noivos.Essa forma de preparação foi adotada no Santuário a partir de 1991. Os casais integrantes da Pastoral reúnem-se mensalmente para reflexão, aprofundamento dos temas e avaliação do trabalho.

Quem é acolhido para participar desta preparação?

Além dos noivos que se casam no Santuário, são acolhidos também casais de outras paróquias que optarem por este tipo de preparação. Podem participar também aqueles noivos que ainda não marcaram a data do casamento, mas desejam refletir sobre a vida conjugal.

A Pastoral dos Noivos está sempre de braços abertos para acolher todos os casais que procurarem o Santuário para fazer sua preparação e celebrar suas bodas.

Para mis informações, por favor entre em contato conosco pelo e-mail noivos.santuario@gmail.com.

Pastoral do Crisma

Ser crismado é ser missionário!

Os sacramentos são sinais eficazes da graça, instituídos por Cristo e confiados à Igreja.

Pelos sacramentos da iniciação cristã – Batismo, Confirmação e Eucaristia – são lançados os fundamentos de toda vida cristã.

A Crisma ou Confirmação é o sacramento onde recebemos o Dom do Espírito, para sermos confirmados na fé, para tornarmo-nos membros responsáveis na Comunidade– Igreja, para assumirmos a missão de apóstolos e testemunhas de Cristo no mundo.

Ser crismado é tornar-se um cristão adulto na fé, um cristão que deixa de ser um católico só “de boca”. O crismado assume sua fé e sabe testemunhar, com palavras e obras, sua adesão a Cristo.

Ser crismado é tornar-se um membro responsável e atuante em sua comunidade eclesial. Ele não é “mais um na Igreja”, e sim um leigo que sente, ama, defende e ajuda a Igreja de Jesus Cristo, como sua Igreja.

Ser crismado é tornar-se apóstolo, profeta e missionário de Jesus Cristo. Ele é um sujeito que entendeu que Cristo, os outros, o mundo precisam dele: que disse “sim” ao chamado de Cristo e à missão que ele confiou à sua Igreja.

A Crisma é uma decisão pessoal e uma opção consciente de um cristão, que fortalecido pelos dons do Espírito Santo se torna capaz de cumprir a missão cristã com responsabilidade e coragem.

Movimento de Nossa Senhora de Schoenstatt

Paróquia Nossa Senhora do Sagrado Coração – Campanha da Mãe Peregrina de Schoenstatt

São 24 imagens que visitam 25 famílias e uma imagem que visita 9 enfermos em 9 famílias, permanecendo 3 dias com cada um.

Mãe, Rainha e Vencedora Três Vezes Admirável de Schoenstatt, “nada sem ti, nada sem nós”.

Queremos hoje e sempre, abrir as portas do teu Santuário para te louvar e agradecer, porque nos dás o teu filho Jesus, que sensível a teus apelos de Mãe, escuta nossas preces e, no Espírito Santo, as conduz ao Pai. Nós te louvamos porque assim nos abrigas em teu coração e, por nossa livre cooperação, nos queres educar, transformar e enviar, a fim de darmos testemunho do amor de Deus Trino, da importância de celebrar o dom da vida e de crer no Cristo Ressuscitado, nossa Páscoa.

Vem, conhece e anuncia… com a Mãe Peregrina!

Quando a imagem da Mãe Peregrina nos visita, ou a levamos para o nosso irmão, recordamos a peregrinação do diácono João Luiz Pozzobon, que iniciou esta campanha em 1950, quando recebeu a imagem da Mãe Três Vezes Admirável da Irmã M. Teresinha Gobbo, para leva-las às famílias e com elas rezar o terço, quando possível. Ao longo de 35 anos, o Sr. João Pozzobon peregrinou, levando sobre seus ombros a imagem da Mãe de Deus aos lares, aos hospitais, às escolas, aos presídios, e às paróquias, incentivando por toda parte a reza do terço e a participação nos sacramentos. Com o tempo, este apostolado de início modesto, cresceu extraordinariamente e assumiu dimensões mundiais, estendendo-se por todas as Américas (Sul, Central e Norte), e por numerosos países da Europa, Ásia e África.

Lembramos que as Imagens da Mãe Peregrina não são vendidas: a Mãe Peregrina parte, levando as graças e bênçãos do Santuário para cada lar, visando a evangelização das famílias. Portanto, todas as imagens adquiridas fora do Santuário, não estão vinculadas a este Apostolado.

Mas a que obra religiosa está vinculada a campanha que acabamos de falar? A que Movimento pertencia a Irmã Teresinha e o Sr. João? E os Santuários de onde partem as Imagens Peregrinas, o que representam?

O Movimento Apostólico de Schoenstatt

Schoenstatt: uma Obra fecunda, um Movimento Apostólico e Mariano.

O Movimento Apostólico de Schoenstatt é Obra da Divina Providência, que escolheu como seu instrumento principal o Pe. Kentenich. Fundado em 18 de outubro de 1914, na Alemanha, tem por objetivo principal a renovação religiosa e moral do mundo através da formação do homem novo, moldado pelas mãos educadoras de Maria, através da “Aliança do Amor” com ela selada. Esta Aliança do Amor com Maria, se comprova pelo Capital de Graças, isto é, tudo deve ser oferecido à Mãe para que ela disponha de nossas boas obras, trabalhos, alegrias, sofrimentos e esforços, para vencermos nosso egoísmo e pecado.

O Movimento e seu fundador foram submetidos a duras provas, que as graças movidas pela Mãe a partir de seu Santuário permitiriam vencer. Uma dessas provas foi a perseguição que o nazismo empreendeu, entre os anos de 1933 e 1945, contra a Igreja e, com especial violência, contra Schoenstatt. O Fundador, Padre Kentenich, com muitos outros sacerdotes colaboradores, foi enviado ao Campo de Concentração de Dachau. No entanto, a perseguição produziu efeito contrário do que pretendiam os nazistas. A Obra de Schoenstatt não pereceu; no meio das perseguições cresceu em extensão e profundidade. Em 1947, o Pe. Kentenich fez a primeira de suas dez visitas ao Brasil e estruturou sua fundação em diversas cidades.

Por seu crescimento e atuação, visando a restauração do mundo em Cristo, por meio de Maria, ou a criação de uma nova ordem social, este Movimento conta-se entre os frutos da vida carismática na Igreja deste novo milênio. Sua espiritualidade quer ajudar as pessoas a terem uma profunda vivência de fé. Para isso através da Aliança de Amor com a Virgem Maria procura experimentar o Deus da vida e da história, que com o amor de Pai, providente e misericordioso, conduz os homens. Este experiência revele também a Deus como um Pai que nos chama a seguir a Cristo, tornando-nos co-responsáveis por sua igreja, para servi-la como instrumentos e apóstolos e construir uma nova ordem social. Para o cumprimento desta tarefa as comunidades de Schoenstatt oferecem vigorosos impulsos e orientações ascético-pedagógicas.

As comunidades apostólicas de educação, integrantes da Família de Schoenstatt, nascem junto aos Santuários de Graças da Mãe Três Vezes Admirável (são 165 santuários no mundo, 18 deles no Brasil). Formam-se como efeito da livre ação divina e da livre cooperação humana e constituem uma estrutura original, concebida pelo Pe. Kentenich, que guiado pela Divina Providência, fundou-as como múltiplas comunidades juridicamente independentes e sem diferenças hierárquicas entre as pessoas que as compõe. O que as une e vincula é a Aliança de Amor com a Mãe Três Vezes Admirável de Schoenstatt. A essas comunidades, agrupadas em Institutos Seculares, Uniões Apostólicas, Liga e Movimento Popular e de Peregrinos, pertencem homens, mulheres, casais, jovens, crianças e doentes, que se organizam nos diferentes “ramos” da Família de Schoenstatt, segundo seu estado de vida, vocação pessoal e grau de compromisso. Muitos desses ramos estão atuando em várias cidades do Brasil. Os Institutos Seculares erigidos canonicamente, se situam no plano universal da Igreja e estão dotados de um governo centralizado. As Uniões Apostólicas têm bases de nível diocesano, mas que se agrupam federativamente, no plano nacional e internacional. Os diferentes agrupamentos da Liga Apostólica implantam-se no nível paroquial e têm uma organização diocesana.

Em Niterói, além dos zelados, missionários e coordenadores das Imagens Peregrinas, o Movimento Apostólico de Schoenstatt atua através dos seguintes ramos da Liga Apostólica. O Ramo das Mães, a Liga das Famílias, a Liga Feminina, a Juventude Feminina, as Apóstolas Luzentes e o ramo mais recente, o dos Pioneiros.

Todos esses grupos acolhem com simpatia as novas e sempre bem-vindas adesões. Seus componentes reúnem-se com frequência compatível com suas demais atividades e dispõem de uma orientação segura para o amadurecimento de sua fé e de seu amor ao Deus Trino e à Mãe de Deus. Nesses encontros de oração e reflexão são estudados e debatidos do Pe. Kentenich e de outros autores formados na espiritualidade e pedagogia de Schoenstatt. A assessoria no curso dessa caminhada é feita pelas Irmãs de Maria de Schoenstatt. Anualmente realizam-se retiros, encontros de aprofundamento, tardes de louvor e encontros de confraternização. Deste modo empenha-se o Schoenstattiano pela auto-educação para formar o santo da vida diária capaz de infiltrar nova vida cristã em todos os ambientes e na massa, não pelo ruído de seus discursos, mas pelo esforço em viver seu ideal, marcando sua presença e atuando eficientemente nas paróquias e dioceses em várias pastorais. Vale lembrar que estes e todos os devotos da Mãe Três Vezes Admirável podem encontrar-se na missa do dia 18, em suas paróquias e, na celebração, renovarem sua consagração à Nossa Senhora.

Para ingressar em algum desses ramos e assim crescer na espiritualidade de Schoenstatt é possível:

•    Informar-se com os missionários ou com os coordenadores da Imagem Peregrina

•    Comunicar-se com o Santuário da Redenção da Família, no Rio de Janeiro, por meio do telefone (21) 2442-0034 (Assim que puder, não deixe de visitar o seu Santuário: Estrada dos Bandeirantes, 13.833 – Vargem Pequena).